A descredibilização da vítima de estupro: um estudo do caso Mariana Ferrer a partir da criminologia feminista

A descredibilização da vítima de estupro: um estudo do caso Mariana Ferrer a partir da criminologia feminista

Autor: Marca: Dialética Referência: 9786527000259

Carregando...
Simulador de Frete
- Calcular frete


 

Descrição

Em 2020, o caso Mariana Ferrer chocou o Brasil. A vítima de estupro foi submetida a um interrogatório agressivo e constrangedor por parte do advogado do acusado. A atitude do advogado foi amplamente criticada, e muitos consideraram que foi uma forma de vitimização secundária da vítima.

Inspirada nessa situação, surgiu a presente pesquisa de mestrado, como uma forma de investigar se o caso foi um fato isolado ou se, na verdade, reflete uma tendência do sistema de justiça criminal brasileiro de culpabilizar a vítima de estupro pelo crime.

Conclui-se, portanto, que o caso Mariana Ferrer foi apenas um em tantos outros casos que manifestam a cultura do estupro – fenômeno social que naturaliza a violência sexual contra a mulher, podendo levar as autoridades judiciárias a culpabilizar as vítimas e a não lhes oferecer o apoio necessário.

A vitimização secundária é um problema que pode ter um impacto negativo significativo na vida das vítimas de estupro, dificultando sua recuperação e reabilitação. A pesquisa pode ajudar a identificar as causas da vitimização secundária e sugerir medidas para combatê-la.

Espero que esta pesquisa contribua para o debate sobre a vitimização secundária de mulheres vítimas de estupro no Brasil. É importante que o sistema de justiça seja mais sensível e acolhedor às vítimas, para que elas possam se sentir seguras e apoiadas no processo de denúncia e julgamento do crime.



Características

  • Ano: 2024
  • Autor: Giovanna Vieira da Costa
  • Selo: Dialética
  • ISBN: 9786527000259
  • Nº de Páginas: 112
  • Capa: Flexível


Comentários e Avaliações

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.

Em 2020, o caso Mariana Ferrer chocou o Brasil. A vítima de estupro foi submetida a um interrogatório agressivo e constrangedor por parte do advogado do acusado. A atitude do advogado foi amplamente criticada, e muitos consideraram que foi uma forma de vitimização secundária da vítima.

Inspirada nessa situação, surgiu a presente pesquisa de mestrado, como uma forma de investigar se o caso foi um fato isolado ou se, na verdade, reflete uma tendência do sistema de justiça criminal brasileiro de culpabilizar a vítima de estupro pelo crime.

Conclui-se, portanto, que o caso Mariana Ferrer foi apenas um em tantos outros casos que manifestam a cultura do estupro – fenômeno social que naturaliza a violência sexual contra a mulher, podendo levar as autoridades judiciárias a culpabilizar as vítimas e a não lhes oferecer o apoio necessário.

A vitimização secundária é um problema que pode ter um impacto negativo significativo na vida das vítimas de estupro, dificultando sua recuperação e reabilitação. A pesquisa pode ajudar a identificar as causas da vitimização secundária e sugerir medidas para combatê-la.

Espero que esta pesquisa contribua para o debate sobre a vitimização secundária de mulheres vítimas de estupro no Brasil. É importante que o sistema de justiça seja mais sensível e acolhedor às vítimas, para que elas possam se sentir seguras e apoiadas no processo de denúncia e julgamento do crime.

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.
  • Ano: 2024
  • Autor: Giovanna Vieira da Costa
  • Selo: Dialética
  • ISBN: 9786527000259
  • Nº de Páginas: 112
  • Capa: Flexível


Receba nossas promoções por e-mail: