A dupla face da poesia: os conceitos de analogia e ironia segundo Octavio Paz

A dupla face da poesia: os conceitos de analogia e ironia segundo Octavio Paz

Autor: Marca: Dial騁ica Refer麩cia: 9786527003649

Carregando...
Simulador de Frete
- Calcular frete


 

Descri鈬o

A proposta deste livro situar o ensaio liter疵io Os filhos do barro, de Oct疱io Paz, como uma tentativa de definir filosoficamente os fundamentos da poesia moderna a partir do par conceitual Ironia/Analogia, conforme formulado pelo autor a partir da leitura deste do chamado romantismo de Iena. Para Paz, esse duplo aspecto da poesia moderna est essencialmente ligado ao car疸er prprio da Modernidade, entendida como uma experi麩cia radical do tempo com que a civiliza鈬o ocidental come輟u a se identificar a partir de meados do s馗ulo XVIII, e que tem na elabora鈬o da raz縊 crtica o seu paradigma fundamental. Assim, da mesma forma que a raz縊 crtica a afirma鈬o da nega鈬o e da mudan軋 como os fundamentos da modernidade, a poesia moderna tanto marca da consci麩cia dessa cis縊, quanto resposta e resist麩cia a esta, sendo assim paradoxalmente fiel ao esprito crtico do objeto criticado. Nesse acordo e acorde tenso, o par Ironia/Analogia s縊 o meio com que a poesia e o poeta se inserem nesse universo dial騁ico autgeno e autof疊ico.



Caractersticas

  • Ano: 2024
  • Autor: Bruno Jalles
  • Selo: Dial騁ica
  • ISBN: 9786527003649
  • Nコ de P疊inas: 104
  • Capa: Flexvel


Coment疵ios e Avalia鋏es

Deixe seu comentário e sua avalia鈬o







- M痊imo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avalia鈬o:
Enviar
Fa軋 seu login e comente.

A proposta deste livro situar o ensaio liter疵io Os filhos do barro, de Oct疱io Paz, como uma tentativa de definir filosoficamente os fundamentos da poesia moderna a partir do par conceitual Ironia/Analogia, conforme formulado pelo autor a partir da leitura deste do chamado romantismo de Iena. Para Paz, esse duplo aspecto da poesia moderna est essencialmente ligado ao car疸er prprio da Modernidade, entendida como uma experi麩cia radical do tempo com que a civiliza鈬o ocidental come輟u a se identificar a partir de meados do s馗ulo XVIII, e que tem na elabora鈬o da raz縊 crtica o seu paradigma fundamental. Assim, da mesma forma que a raz縊 crtica a afirma鈬o da nega鈬o e da mudan軋 como os fundamentos da modernidade, a poesia moderna tanto marca da consci麩cia dessa cis縊, quanto resposta e resist麩cia a esta, sendo assim paradoxalmente fiel ao esprito crtico do objeto criticado. Nesse acordo e acorde tenso, o par Ironia/Analogia s縊 o meio com que a poesia e o poeta se inserem nesse universo dial騁ico autgeno e autof疊ico.

Deixe seu comentário e sua avalia鈬o







- M痊imo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avalia鈬o:
Enviar
Fa軋 seu login e comente.
  • Ano: 2024
  • Autor: Bruno Jalles
  • Selo: Dial騁ica
  • ISBN: 9786527003649
  • Nコ de P疊inas: 104
  • Capa: Flexvel


Receba nossas promo鋏es por e-mail: