Appassionata para violão de Ronaldo Miranda: reflexões acerca da prática de revisão

Appassionata para violão de Ronaldo Miranda: reflexões acerca da prática de revisão

Autor: Marca: Dialética Referência: 9786525242187

Carregando...
Simulador de Frete
- Calcular frete


 

Descrição

Encomendada pelo violonista Turíbio Santos, a Appassionata, do compositor Ronaldo Miranda, foi composta para violão em 1984. Durante a etapa composicional, Turíbio pôde estabelecer uma relação compositor/intérprete, auxiliando no processo criativo de Ronaldo, até a obra ser finalizada. No entanto, a Appassionata não foi estreada pelo violonista brasileiro, que na época alegou apresentar dificuldades técnicas que dificultavam a performance. Assim, a obra ficou inédita por 12 anos até ser estreada por Fábio Zanon, em 1996. Anos mais tarde, Fábio foi encarregado de realizar a revisão da primeira edição da obra, através da editora norte-americana Orphèe Editions, registrando diferenças em relação ao manuscrito.

A partir da análise comparativa entre o manuscrito (1984) e a edição Orphèe Editions (2002) da Appassionata, discutimos 24 alterações realizadas pelo violonista Fábio Zanon. Com foco nas soluções propostas pelo revisor, foram levantados aspectos composicionais e de exequibilidade, articulação, dinâmica e sonoridade. A análise e as questões levantadas apoiaram-se em conceitos sobre idiomatismo e nas entrevistas realizadas com o revisor e com o compositor. Baseado nos resultados da análise e no estudo prático da obra, elaboramos um comentário sobre as possíveis motivações das alterações. 



Características

  • Ano: 2022
  • Autor: Filipe Gonçalves de Rezende
  • Selo: Dialética
  • ISBN: 9786525242187
  • Nº de Páginas: 128


Comentários e Avaliações

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.

Encomendada pelo violonista Turíbio Santos, a Appassionata, do compositor Ronaldo Miranda, foi composta para violão em 1984. Durante a etapa composicional, Turíbio pôde estabelecer uma relação compositor/intérprete, auxiliando no processo criativo de Ronaldo, até a obra ser finalizada. No entanto, a Appassionata não foi estreada pelo violonista brasileiro, que na época alegou apresentar dificuldades técnicas que dificultavam a performance. Assim, a obra ficou inédita por 12 anos até ser estreada por Fábio Zanon, em 1996. Anos mais tarde, Fábio foi encarregado de realizar a revisão da primeira edição da obra, através da editora norte-americana Orphèe Editions, registrando diferenças em relação ao manuscrito.

A partir da análise comparativa entre o manuscrito (1984) e a edição Orphèe Editions (2002) da Appassionata, discutimos 24 alterações realizadas pelo violonista Fábio Zanon. Com foco nas soluções propostas pelo revisor, foram levantados aspectos composicionais e de exequibilidade, articulação, dinâmica e sonoridade. A análise e as questões levantadas apoiaram-se em conceitos sobre idiomatismo e nas entrevistas realizadas com o revisor e com o compositor. Baseado nos resultados da análise e no estudo prático da obra, elaboramos um comentário sobre as possíveis motivações das alterações. 

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.
  • Ano: 2022
  • Autor: Filipe Gonçalves de Rezende
  • Selo: Dialética
  • ISBN: 9786525242187
  • Nº de Páginas: 128


Receba nossas promoções por e-mail: