Da família sem pais à família sem paz: violência doméstica e uso de drogas

Da família sem pais à família sem paz: violência doméstica e uso de drogas

Autor: Marca: Dialética Referência: 9786525207544

Carregando...
Simulador de Frete
- Calcular frete


 

Descrição

No vocabulário da saúde pública, a violência no âmbito intrafamiliar é considerada como uma doença hiperendêmica, ou seja, um agravo persistente e de alta incidência. Na atualidade, embora mais exposta e melhor conceituada, estando, inclusive, positivada juridicamente, e seja menos aceita socialmente que nas décadas passadas, permanece mantida em patamares altos, como doença social bastante frequente. Esta contribuição ao debate sobre o tema, à análise da dinâmica e do contexto histórico da violência intrafamiliar associada ao uso de substâncias psicoativas, tenta ir além do diagnóstico das causas, e reconhece algumas leis explícitas, a serem obedecidas sem pestanejar: Constatada a dependência química, se faz premente uma intervenção, qualquer intervenção; não existe dano individual que não seja também dano coletivo. Se a liberdade surge como patologia, com terríveis feições de doença, instala-se a negação da fraternidade, do concernimento, base do cuidado com o outro, da capacidade de sentir remorso, do sentimento de preocupação, respeito ou culpa para com outro indivíduo. Tentar-se articular diferentes campos do conhecimento, de modo que os problemas identificados nas situações de violência e uso de drogas na família possam ser compreendidos enquanto neles se realiza uma intervenção qualificada.



Características

  • Ano: 2021
  • Autor: GILBERTO LUCIO DA SILVA
  • Selo: Dialética
  • ISBN: 9786525207544
  • Nº de Páginas: 216


Comentários e Avaliações

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.

No vocabulário da saúde pública, a violência no âmbito intrafamiliar é considerada como uma doença hiperendêmica, ou seja, um agravo persistente e de alta incidência. Na atualidade, embora mais exposta e melhor conceituada, estando, inclusive, positivada juridicamente, e seja menos aceita socialmente que nas décadas passadas, permanece mantida em patamares altos, como doença social bastante frequente. Esta contribuição ao debate sobre o tema, à análise da dinâmica e do contexto histórico da violência intrafamiliar associada ao uso de substâncias psicoativas, tenta ir além do diagnóstico das causas, e reconhece algumas leis explícitas, a serem obedecidas sem pestanejar: Constatada a dependência química, se faz premente uma intervenção, qualquer intervenção; não existe dano individual que não seja também dano coletivo. Se a liberdade surge como patologia, com terríveis feições de doença, instala-se a negação da fraternidade, do concernimento, base do cuidado com o outro, da capacidade de sentir remorso, do sentimento de preocupação, respeito ou culpa para com outro indivíduo. Tentar-se articular diferentes campos do conhecimento, de modo que os problemas identificados nas situações de violência e uso de drogas na família possam ser compreendidos enquanto neles se realiza uma intervenção qualificada.

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.
  • Ano: 2021
  • Autor: GILBERTO LUCIO DA SILVA
  • Selo: Dialética
  • ISBN: 9786525207544
  • Nº de Páginas: 216


Receba nossas promoções por e-mail: