Memória, etnodesenvolvimento e sustentabilidade na comunidade Quilombola Vó Elvira de Pelotas (RS)

Memória, etnodesenvolvimento e sustentabilidade na comunidade Quilombola Vó Elvira de Pelotas (RS)

Autor: Marca: Dialética Referência: 9786527014904

Carregando...
Simulador de Frete
- Calcular frete


 

Descrição

O objetivo desta tese foi analisar como ocorre a sustentabilidade na comunidade Quilombola Vó Elvira, localizada no Município de Pelotas/RS, sob a compreensão da memória social e do etnodesenvolvimento. A metodologia caracterizou-se como estudo de caso, de natureza aplicada e descritiva, com abordagem de cunho qualitativo, sendo analisados dados secundários segundo a análise temática. Os resultados das análises apontaram que os integrantes da comunidade quilombola Vó Elvira enfrentam diariamente um racismo pouco sutil em contextos coletivos como universidades, bancos e lojas, sendo a eles atribuído um espaço intersubjetivo de não merecimento, caracterizado como um mecanismo de negação da sociedade que se recusa a aceitar o negro como uma pessoa igual ao branco em termos de comportamento, pensamento e emoção, o que dificulta a sustentabilidade. A criação e institucionalização do Comitê Gestor Quilombola de Pelotas foi um dos principais avanços em termos de sustentabilidade para a Comunidade Remanescente Quilombola (CRQ) Vó Elvira e para os quilombolas de Pelotas, por meio do qual conseguiram a abertura de poços, facilidade para a comercialização de produtos agrícolas, direito ao Talão de Produtor Rural, entre outras. Percebe-se que premissas do etnodesenvolvimento norteiam ações do Comitê, uma vez que levam em consideração a diversidade cultural das comunidades, seus conhecimentos e linguagens.



Características

  • Ano: 2024
  • Autor: Jorge Luiz da Silva Nascimento, Maria de Lourdes Borges, Moises Waismann
  • Selo: Dialética
  • ISBN: 9786527014904
  • Nº de Páginas: 124
  • Capa: Dura


Comentários e Avaliações

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.

O objetivo desta tese foi analisar como ocorre a sustentabilidade na comunidade Quilombola Vó Elvira, localizada no Município de Pelotas/RS, sob a compreensão da memória social e do etnodesenvolvimento. A metodologia caracterizou-se como estudo de caso, de natureza aplicada e descritiva, com abordagem de cunho qualitativo, sendo analisados dados secundários segundo a análise temática. Os resultados das análises apontaram que os integrantes da comunidade quilombola Vó Elvira enfrentam diariamente um racismo pouco sutil em contextos coletivos como universidades, bancos e lojas, sendo a eles atribuído um espaço intersubjetivo de não merecimento, caracterizado como um mecanismo de negação da sociedade que se recusa a aceitar o negro como uma pessoa igual ao branco em termos de comportamento, pensamento e emoção, o que dificulta a sustentabilidade. A criação e institucionalização do Comitê Gestor Quilombola de Pelotas foi um dos principais avanços em termos de sustentabilidade para a Comunidade Remanescente Quilombola (CRQ) Vó Elvira e para os quilombolas de Pelotas, por meio do qual conseguiram a abertura de poços, facilidade para a comercialização de produtos agrícolas, direito ao Talão de Produtor Rural, entre outras. Percebe-se que premissas do etnodesenvolvimento norteiam ações do Comitê, uma vez que levam em consideração a diversidade cultural das comunidades, seus conhecimentos e linguagens.

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.
  • Ano: 2024
  • Autor: Jorge Luiz da Silva Nascimento, Maria de Lourdes Borges, Moises Waismann
  • Selo: Dialética
  • ISBN: 9786527014904
  • Nº de Páginas: 124
  • Capa: Dura


Receba nossas promoções por e-mail: