O estranho no contemporâneo: estranhar é preciso; estranhar não é preciso

O estranho no contemporâneo: estranhar é preciso; estranhar não é preciso

Autor: Marca: Dialética Referência: 9786525215211

Carregando...
Simulador de Frete
- Calcular frete


 

Descrição

O presente trabalho tomou como texto norteador o ensaio de Sigmund Freud, publicado em 1919, intitulado ?Das unheimlich?, traduzido inicialmente por 'O Estranho'. A pesquisa analisou o mesmo, investigando acerca da viabilidade do estranhar na contemporaneidade, marcada não mais pela neurose, mas por transtornos narcísicos. Para tanto, foi feita uma abordagem de acordo com a sugerida por Freud e ainda outra, condizendo com o ponto de vista de Jentsch, mencionado pelo autor, o qual aproxima o fenômeno da estranheza à incerteza intelectual. A partir do viés interpretativo referido à incerteza, o direcionamento da sensação de estranheza se voltou à estética, tomando-a como 'a qualidade de sentir'. Esta direção facilitou a proximidade com as clínicas de Sándor Ferenczi e de Donald Winnicott. A contribuição destes analistas, explicitando como 'o estranho' pode ser acolhido, se contrapõe à usual tentativa de eliminação da alteridade, do que vem a ser o outro. Além da clínica, no debate em torno de como este fenômeno é sentido na atualidade, e da possibilidade de sua ocorrência, causando movimento, pesquisamos a partir de algumas cartografias do que venha a ser o contemporâneo, feitas por estudiosos da psicanálise e de outras áreas também, como a sociologia e a filosofia.



Características

  • Ano: 2021
  • Autor: SORAYA MAGALHAES PINTO HOMEM
  • Selo: Dialética
  • ISBN: 9786525215211
  • Nº de Páginas: 152


Comentários e Avaliações

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.

O presente trabalho tomou como texto norteador o ensaio de Sigmund Freud, publicado em 1919, intitulado ?Das unheimlich?, traduzido inicialmente por 'O Estranho'. A pesquisa analisou o mesmo, investigando acerca da viabilidade do estranhar na contemporaneidade, marcada não mais pela neurose, mas por transtornos narcísicos. Para tanto, foi feita uma abordagem de acordo com a sugerida por Freud e ainda outra, condizendo com o ponto de vista de Jentsch, mencionado pelo autor, o qual aproxima o fenômeno da estranheza à incerteza intelectual. A partir do viés interpretativo referido à incerteza, o direcionamento da sensação de estranheza se voltou à estética, tomando-a como 'a qualidade de sentir'. Esta direção facilitou a proximidade com as clínicas de Sándor Ferenczi e de Donald Winnicott. A contribuição destes analistas, explicitando como 'o estranho' pode ser acolhido, se contrapõe à usual tentativa de eliminação da alteridade, do que vem a ser o outro. Além da clínica, no debate em torno de como este fenômeno é sentido na atualidade, e da possibilidade de sua ocorrência, causando movimento, pesquisamos a partir de algumas cartografias do que venha a ser o contemporâneo, feitas por estudiosos da psicanálise e de outras áreas também, como a sociologia e a filosofia.

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.
  • Ano: 2021
  • Autor: SORAYA MAGALHAES PINTO HOMEM
  • Selo: Dialética
  • ISBN: 9786525215211
  • Nº de Páginas: 152


Receba nossas promoções por e-mail: