O Juízo Final: conciliações entre ciência e religião em Paul Tillich e Rudolf Bultmann

O Juízo Final: conciliações entre ciência e religião em Paul Tillich e Rudolf Bultmann

Autor: Marca: Dialética Referência: 9786525209722

Carregando...
Simulador de Frete
- Calcular frete


 

Descrição

O presente livro é uma análise crítica da evolução do conceito de Juízo Final nos séculos XIX e XX. Analisamos algumas perspectivas dos principais reformadores, como Lutero e Calvino. Discutimos alguns dos mais destacados teólogos e filósofos dos séculos XIX e XX. Discutimos os conceitos de transmitização e demitização. Destacamos que estes dois conceitos foram uma reação à teologia liberal do século XIX, segundo a qual todo conhecimento deve ser submetido ao crivo da razão cientifica, a fim de validá-lo. A leitura dualista do ser humano e da história foi conservada pelos Reformadores. A fé continuou sendo interpretada como obediência inflexível às normas da lgreja. O Reino de Deus Continuou sendo uma realidade a ser construída por Ele apenas. Tillich e Bultmann ressignificam os dogmas escatológicos. A escatologia deles reflete suas percepções sobre a origem e o fim da história e do ser humano. Para eles, a história não comporta aspectos atemporais ou extramundanos. Ainda que estes pensamentos tenham se fundamentado em princípios da teologia dialética, eles a superam quanto ao conceito de Juízo Final. Segundo os teólogos dialéticos Deus é um participante da história. Ao menos, duas novas teologias surgem da teologia dialética: a Teologia da Libertação e o Evangelho Social. A Teologia dialética concebeu um Deus vivo, mas inerte, preocupado, mas incapaz de se mover. Para as novas teologias, Deus tanto é vivo quanto é ativo e participativo da vida humana. 



Características

  • Ano: 2021
  • Autor: Uésio J G Santos
  • Selo: Dialética
  • ISBN: 9786525209722
  • Nº de Páginas: 124


Comentários e Avaliações

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.

O presente livro é uma análise crítica da evolução do conceito de Juízo Final nos séculos XIX e XX. Analisamos algumas perspectivas dos principais reformadores, como Lutero e Calvino. Discutimos alguns dos mais destacados teólogos e filósofos dos séculos XIX e XX. Discutimos os conceitos de transmitização e demitização. Destacamos que estes dois conceitos foram uma reação à teologia liberal do século XIX, segundo a qual todo conhecimento deve ser submetido ao crivo da razão cientifica, a fim de validá-lo. A leitura dualista do ser humano e da história foi conservada pelos Reformadores. A fé continuou sendo interpretada como obediência inflexível às normas da lgreja. O Reino de Deus Continuou sendo uma realidade a ser construída por Ele apenas. Tillich e Bultmann ressignificam os dogmas escatológicos. A escatologia deles reflete suas percepções sobre a origem e o fim da história e do ser humano. Para eles, a história não comporta aspectos atemporais ou extramundanos. Ainda que estes pensamentos tenham se fundamentado em princípios da teologia dialética, eles a superam quanto ao conceito de Juízo Final. Segundo os teólogos dialéticos Deus é um participante da história. Ao menos, duas novas teologias surgem da teologia dialética: a Teologia da Libertação e o Evangelho Social. A Teologia dialética concebeu um Deus vivo, mas inerte, preocupado, mas incapaz de se mover. Para as novas teologias, Deus tanto é vivo quanto é ativo e participativo da vida humana. 

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.
  • Ano: 2021
  • Autor: Uésio J G Santos
  • Selo: Dialética
  • ISBN: 9786525209722
  • Nº de Páginas: 124


Receba nossas promoções por e-mail: