O Mito político: entre a Magna Carta e os parlamentaristas ingleses

O Mito político: entre a Magna Carta e os parlamentaristas ingleses

Autor: Marca: Dialética Referência: 9786559567447

Carregando...
Simulador de Frete
- Calcular frete


 

Descrição

Na Inglaterra do século XVII é inegável a persistência de temas medievais e de princípios teológicos. Ao mesmo tempo em que a Reforma Protestante minou o poder da Igreja, renovou o interesse na Bíblia como fonte subjetiva de fundamento de poder, entretanto a Bíblia, por sua linguagem ambígua, foi utilizada para a defesa de ideias visivelmente contraditórias, atendendo a grupos divergentes naquele momento de luta política. Fazia-se necessário então algo que contrariasse diretamente a opressão monárquica e superasse os argumentos metafísicos de legitimidade do poder. Um documento do século XIII serviu prontamente a esse papel: a Magna Carta das Liberdades. Este livro analisa o uso daquele documento histórico da Idade Média inglesa como mito político pelos revoltosos partidários do parlamento inglês do século XVII e sua influência nas revoluções e nas transformações sociais e políticas promovidas neste período. Conduzindo o estudo, à luz da Análise de Discurso e da teoria do mito político, por meio de pesquisa bibliográfica e documental, de documentos históricos do século XIII e XVII - incluindo a Magna Carta inglesa em sua redação original, traduzida pelo autor - este livro alcança com êxito e consistência o objetivo de demonstrar a linguagem mítica presente nos discursos políticos dos diversos grupos envolvidos nas revoluções e transformações sociais e políticas do século XVII.



Características

  • Ano: 2021
  • Autor: SEBASTIÃO RODRIGO SOUZA DE ARAUJO
  • Selo: Dialética
  • ISBN: 9786559567447
  • Nº de Páginas: 136


Comentários e Avaliações

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.

Na Inglaterra do século XVII é inegável a persistência de temas medievais e de princípios teológicos. Ao mesmo tempo em que a Reforma Protestante minou o poder da Igreja, renovou o interesse na Bíblia como fonte subjetiva de fundamento de poder, entretanto a Bíblia, por sua linguagem ambígua, foi utilizada para a defesa de ideias visivelmente contraditórias, atendendo a grupos divergentes naquele momento de luta política. Fazia-se necessário então algo que contrariasse diretamente a opressão monárquica e superasse os argumentos metafísicos de legitimidade do poder. Um documento do século XIII serviu prontamente a esse papel: a Magna Carta das Liberdades. Este livro analisa o uso daquele documento histórico da Idade Média inglesa como mito político pelos revoltosos partidários do parlamento inglês do século XVII e sua influência nas revoluções e nas transformações sociais e políticas promovidas neste período. Conduzindo o estudo, à luz da Análise de Discurso e da teoria do mito político, por meio de pesquisa bibliográfica e documental, de documentos históricos do século XIII e XVII - incluindo a Magna Carta inglesa em sua redação original, traduzida pelo autor - este livro alcança com êxito e consistência o objetivo de demonstrar a linguagem mítica presente nos discursos políticos dos diversos grupos envolvidos nas revoluções e transformações sociais e políticas do século XVII.

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.
  • Ano: 2021
  • Autor: SEBASTIÃO RODRIGO SOUZA DE ARAUJO
  • Selo: Dialética
  • ISBN: 9786559567447
  • Nº de Páginas: 136


Receba nossas promoções por e-mail: