Villa, Jobim e Edu Canções, Afetos e Brasilidades: uma escuta histórica e cultural do modernismo musical brasileiro

Villa, Jobim e Edu Canções, Afetos e Brasilidades: uma escuta histórica e cultural do modernismo musical brasileiro

Autor: Marca: Dialética Referência: 9786525264127

Carregando...
Simulador de Frete
- Calcular frete


 

Descrição

A narrativa aborda o modernismo musical brasileiro como um momento-chave para análises sobre as práticas musicais brasileiras em tempos antigos e modernos. Estudando as Serestas de Villa-Lobos e Manuel Bandeira (Manduca Piá), algumas canções de Tom Jobim e Vinícius de Moraes e outras de Edu Lobo e Chico Buarque, verifica-se que elas se relacionam a um tipo de cultura poética e musical produzida por uma classe média urbana, intelectualizada, mas não acadêmica, popular, mas não folclórica, culta, mas não erudita. Propusemos relacionar vidas e obras dos compositores através da ideia de estrutura de sentimento desenvolvida pelo intelectual Raymond Williams, pois elas confluem para uma consciência afetiva e cultural sobre o país que se traduz numa moderna brasilidade musical. Por outras trilhas, analisa-se criticamente as convergências e divergências de musicólogos e intelectuais em torno da construção nacional-folclorista erigida pelo modernismo musical, que almejou a criação de uma "música brasileira" ancorada em elementos nacionalistas e positivistas.

Tal concepção identitária se tornou canônica na história cultural do modernismo musical, defendida por uns e questionada por outros, debate que se faz presente ainda hoje. Nesses sentidos, propõe-se uma leitura interdisciplinar do modernismo musical brasileiro em seus aspectos culturais, históricos, estéticos e ideológicos, relacionando História Cultural, Musicologia, Literatura, Sociologia, Etnomusicologia e Estudos Culturais.



Características

  • Ano: 2022
  • Autor: Carlos Ernest Dias
  • Selo: Dialética
  • ISBN: 9786525264127
  • Nº de Páginas: 320


Comentários e Avaliações

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.

A narrativa aborda o modernismo musical brasileiro como um momento-chave para análises sobre as práticas musicais brasileiras em tempos antigos e modernos. Estudando as Serestas de Villa-Lobos e Manuel Bandeira (Manduca Piá), algumas canções de Tom Jobim e Vinícius de Moraes e outras de Edu Lobo e Chico Buarque, verifica-se que elas se relacionam a um tipo de cultura poética e musical produzida por uma classe média urbana, intelectualizada, mas não acadêmica, popular, mas não folclórica, culta, mas não erudita. Propusemos relacionar vidas e obras dos compositores através da ideia de estrutura de sentimento desenvolvida pelo intelectual Raymond Williams, pois elas confluem para uma consciência afetiva e cultural sobre o país que se traduz numa moderna brasilidade musical. Por outras trilhas, analisa-se criticamente as convergências e divergências de musicólogos e intelectuais em torno da construção nacional-folclorista erigida pelo modernismo musical, que almejou a criação de uma "música brasileira" ancorada em elementos nacionalistas e positivistas.

Tal concepção identitária se tornou canônica na história cultural do modernismo musical, defendida por uns e questionada por outros, debate que se faz presente ainda hoje. Nesses sentidos, propõe-se uma leitura interdisciplinar do modernismo musical brasileiro em seus aspectos culturais, históricos, estéticos e ideológicos, relacionando História Cultural, Musicologia, Literatura, Sociologia, Etnomusicologia e Estudos Culturais.

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.
  • Ano: 2022
  • Autor: Carlos Ernest Dias
  • Selo: Dialética
  • ISBN: 9786525264127
  • Nº de Páginas: 320


Receba nossas promoções por e-mail: