Versos e poesias

Versos e poesias

Autor: Marca: Dial騁ica Refer麩cia: 9786589968153

Carregando...
Simulador de Frete
- Calcular frete


 

Descri鈬o

Como que num sonho que explanei bem antes, fui um debutante nas coisas da vida, pensei que sabia, n縊 sabia nada.

Assim como um devaneio de um homem bem jovem, quando me acordei n縊 era mais mo輟, e tive saudades das minhas quimeras, das minhas paqueras, daquelas mocinhas com gosto de doce, seus beijos furtivos na ma鈬 do rosto.

Ainda me lembro quando no m黌 nove traziam presentes, e eu agraciado mostrava os meus dentes para a felizarda, minha pretendente... ai, a juventude!

Que coisa mais bela quando da janela mostravam um sorriso, era um paraso em dia de sol, tudo era escondido e bem precioso num olhar gostoso, a imagina鈬o voa como uma garoa que vem repentina, que doces meninas naqueles quintais.

Talvez na velhice que eu desejo ter, seja mais feliz sem nem perceber, mas a juventude a marca primeira de uma vida inteira que se tem prazer!

Mas como no tempo n縊 h regress縊, s no pensamento eu posso voltar, mas fico feliz de ter um passado distoso e gostoso para relembrar.

Aquelas olhadelas mandavam um recado que assimilado terminava em beijos, em loucos desejos quase tresloucados. Aquelas meninas com todos os seus medos acirravam os desejos de forma fatal, quem que n縊 iria cair nos seus bra輟s, extravasar seus sonhos e torn-los reais.

Aqueles romances de cumplicidade longe da maldade dos olhos dos pais tremendo de medo nos davam suas m縊s, nossas pulsa鋏es se elevavam a mil, nossos cora鋏es numa 穗sia louca quando nossas bocas se uniam mais.



Caractersticas

  • Autor: Francisco Sousa de Oliveira
  • Selo: Dial騁ica Liter疵ia
  • ISBN: 9786589968153
  • Nコ de P疊inas: 96
  • Ano: 2022


Coment疵ios e Avalia鋏es

Deixe seu comentário e sua avalia鈬o







- M痊imo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avalia鈬o:
Enviar
Fa軋 seu login e comente.

Como que num sonho que explanei bem antes, fui um debutante nas coisas da vida, pensei que sabia, n縊 sabia nada.

Assim como um devaneio de um homem bem jovem, quando me acordei n縊 era mais mo輟, e tive saudades das minhas quimeras, das minhas paqueras, daquelas mocinhas com gosto de doce, seus beijos furtivos na ma鈬 do rosto.

Ainda me lembro quando no m黌 nove traziam presentes, e eu agraciado mostrava os meus dentes para a felizarda, minha pretendente... ai, a juventude!

Que coisa mais bela quando da janela mostravam um sorriso, era um paraso em dia de sol, tudo era escondido e bem precioso num olhar gostoso, a imagina鈬o voa como uma garoa que vem repentina, que doces meninas naqueles quintais.

Talvez na velhice que eu desejo ter, seja mais feliz sem nem perceber, mas a juventude a marca primeira de uma vida inteira que se tem prazer!

Mas como no tempo n縊 h regress縊, s no pensamento eu posso voltar, mas fico feliz de ter um passado distoso e gostoso para relembrar.

Aquelas olhadelas mandavam um recado que assimilado terminava em beijos, em loucos desejos quase tresloucados. Aquelas meninas com todos os seus medos acirravam os desejos de forma fatal, quem que n縊 iria cair nos seus bra輟s, extravasar seus sonhos e torn-los reais.

Aqueles romances de cumplicidade longe da maldade dos olhos dos pais tremendo de medo nos davam suas m縊s, nossas pulsa鋏es se elevavam a mil, nossos cora鋏es numa 穗sia louca quando nossas bocas se uniam mais.

Deixe seu comentário e sua avalia鈬o







- M痊imo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avalia鈬o:
Enviar
Fa軋 seu login e comente.
  • Autor: Francisco Sousa de Oliveira
  • Selo: Dial騁ica Liter疵ia
  • ISBN: 9786589968153
  • Nコ de P疊inas: 96
  • Ano: 2022


Receba nossas promo鋏es por e-mail: