Gritos revolucion疵ios e devo鈬o ao sagrado nos contos de Boaventura Cardoso

Gritos revolucion疵ios e devo鈬o ao sagrado nos contos de Boaventura Cardoso

Autor: Marca: Dial騁ica Refer麩cia: 9786525246536

Carregando...
Simulador de Frete
- Calcular frete


 

Descri鈬o

Este livro objetiva estudar e partilhar os conceitos mais relevantes nas obras de contos do escritor angolano Boaventura Cardoso, respectivamente, Dizanga Dia Muenhu, O fogo da fala (exerccios de estilo) e A morte do velho Kipaca軋, que contextualizam narrativas antecedentes independ麩cia de Angola, ocorrida em 11 de novembro de 1975, aps quase quinhentos anos de coloniza鈬o luso-europeia. Saltam das p疊inas est騁icas dramas substanciados na viol麩cia desferida pelo colonizador ao colonizado. Esse luta tenazmente, utilizando-se da memria, da palavra e do corpo, como forma de resist麩cia ao sistema capitalista. Outro dado de resist麩cia, reservado nas colet穗eas, refere-se ao universo da religiosidade, subst穗cia valorativa para recomposi鈬o do homem negro banto e da prpria na鈬o angolana. Ao apanhar ambos os assuntos do contexto histrico e transform-los em produto artstico h relevo quest縊 identit疵ia, pois o autor recompe as histrias recorrendo ao idioma do colonizador, fincando-lhe caracteres de uma das lnguas nacionais de Angola: o quimbundo, utilizado pelo grupo etnolingustico banto.

E, pulverizando o teor artstico do escritor angolano 灣 terras do Brasil, igualmente fruto do colonialismo escravocrata administrado por Portugal, h a perspectiva de se refazer a Histria, ao se ressaltar o valor da presen軋 africana e seu legado cultural na forma鈬o da sociedade brasileira.



Caractersticas

  • Ano: 2022
  • Autor: Maria Aparecida de Barros
  • Selo: Dial騁ica
  • ISBN: 9786525246536
  • Nコ de P疊inas: 280


Coment疵ios e Avalia鋏es

Deixe seu comentário e sua avalia鈬o







- M痊imo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avalia鈬o:
Enviar
Fa軋 seu login e comente.

Este livro objetiva estudar e partilhar os conceitos mais relevantes nas obras de contos do escritor angolano Boaventura Cardoso, respectivamente, Dizanga Dia Muenhu, O fogo da fala (exerccios de estilo) e A morte do velho Kipaca軋, que contextualizam narrativas antecedentes independ麩cia de Angola, ocorrida em 11 de novembro de 1975, aps quase quinhentos anos de coloniza鈬o luso-europeia. Saltam das p疊inas est騁icas dramas substanciados na viol麩cia desferida pelo colonizador ao colonizado. Esse luta tenazmente, utilizando-se da memria, da palavra e do corpo, como forma de resist麩cia ao sistema capitalista. Outro dado de resist麩cia, reservado nas colet穗eas, refere-se ao universo da religiosidade, subst穗cia valorativa para recomposi鈬o do homem negro banto e da prpria na鈬o angolana. Ao apanhar ambos os assuntos do contexto histrico e transform-los em produto artstico h relevo quest縊 identit疵ia, pois o autor recompe as histrias recorrendo ao idioma do colonizador, fincando-lhe caracteres de uma das lnguas nacionais de Angola: o quimbundo, utilizado pelo grupo etnolingustico banto.

E, pulverizando o teor artstico do escritor angolano 灣 terras do Brasil, igualmente fruto do colonialismo escravocrata administrado por Portugal, h a perspectiva de se refazer a Histria, ao se ressaltar o valor da presen軋 africana e seu legado cultural na forma鈬o da sociedade brasileira.

Deixe seu comentário e sua avalia鈬o







- M痊imo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avalia鈬o:
Enviar
Fa軋 seu login e comente.
  • Ano: 2022
  • Autor: Maria Aparecida de Barros
  • Selo: Dial騁ica
  • ISBN: 9786525246536
  • Nコ de P疊inas: 280


Receba nossas promo鋏es por e-mail: